O USO DO ÁCIDO HIALURÔNICO NO REJUVENESCIMENTO FACIAL

  • Suelen Consoli Braga Vasconcelos Pontifícia Universidade Católica de Goiás - PUC Goiás
  • Flávia Martins Nascente Pontifícia Universidade Católica de Goiás - PUC Goiás, Faculdade da Polícia Militar - FPM
  • Cláudia Maria Duque de Souza Pontifícia Universidade Católica de Goiás - PUC Goiás
  • Hermínio Maurício da Rocha Sobrinho Pontifícia Universidade Católica de Goiás - PUC Goiás, Universidade Estadual de Goiás - UEG
Palavras-chave: Ácido hialurônico, Preenchimento facial, Reações adversas, Rejuvenescimento cutâneo

Resumo

O ácido hialurônico (AH) é um dos preenchedores dérmicos temporários mais usados na correção de rítides, linhas e sulcos faciais por ser seguro e eficaz. Este ácido é natural no organismo humano e dentre as suas funções destaca-se a manutenção do volume, sustentação, hidratação e elasticidade da pele. Múltiplos preenchedores dérmicos estão disponíveis variando em relação às características físicas e químicas, o que influi em seus efeitos. O conhecimento do profissional sobre a anatomofisiologia da pele, assim como as características e propriedades reológicas dos AH, bem como a escolha adequada do produto para a região em que será aplicado e a experiência na aplicação são de suma importância para a obtenção de um resultado natural e duradouro. Os objetivos deste estudo foram apresentar as principais vantagens do uso do AH como preenchedor dérmico, suas indicações, contraindicações, reações adversas e possíveis complicações no tratamento para o rejuvenescimento facial humano. Trata-se de um estudo de revisão bibliográfica narrativa. Foram consultadas as bases de dados virtuais PubMed/MEDLINE e Portal Periódicos Capes. Estudos demonstraram que a aplicação inadequada do AH em planos teciduais incorretos é crítico na indução de reações adversas, devido à distensão dos tecidos e ao trauma. Observou-se que reação inflamatória transitória, leve ou moderada e equimoses podem ocorrer alguns dias após o procedimento. Estudos revelam que bons resultados do preenchimento dérmico facial se mantêm por um período variável de 6 a 18 meses. Os procedimentos são rápidos, ambulatoriais, sem necessidades de testes ou afastamentos de atividades diárias, com reações adversas mínimas e complicações raras. Avaliação cuidadosa do paciente, planejamento terapêutico adequado e técnica apurada são fundamentais para alcançar os melhores resultados com o tratamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
30-01-2020
Como Citar
Vasconcelos, S. C. B., Nascente, F. M., Souza, C. M. D. de, & Rocha Sobrinho, H. M. da. (2020). O USO DO ÁCIDO HIALURÔNICO NO REJUVENESCIMENTO FACIAL. REVISTA BRASILEIRA MILITAR DE CIÊNCIAS, 6(14). https://doi.org/10.36414/rbmc.v6i14.28
Seção
Artigos